domingo, 15 de janeiro de 2017

Cabeças de presos estão sendo jogadas no pátio do pavilhão da Penitenciária de Alcaçuz

Alcaçuz e avançaram no Pavilhão IV, onde estão os presos do PCC, seus inimigos. Ameaçam um banho de sangue. Ao menos três já tiveram as cabeças separadas no corpo e jogadas no pátio. A rebelião começou por volta das 16h deste sábado, dia 14, logo após terminar a visita. Segundo o coordenador de administração penitenciária, Zemilton Silva, “é de grandes proporções”.
Várias viaturas policiais foram acionadas para conter a fúria dos presos. Ao G1, o major Eduardo Franco, da comunicação da Polícia Militar do RN, disse que o motim começou por volta das 16h30 e houve invasão de presos do pavilhão 1 no pavilhão 5. Em Alcaçuz existem aproximadamente 1.150 presos ocupando um espaço inicialmente projetado para caber somente a metade. Mas não é este o motivo da rebelião. O que está acontecendo dentro de Alcaçuz é a guerra de facções, como a que aconteceu em Manaus, que deixou aproximadamente 60 presos mortos. Muitos decapitados. Em Alcaçuz, os presos ligados ao Sindicato do RN ocupavam os pavilhões I, II e IV. Eles pularam os muros e avançaram no Pavilhão V, onde estão os presos do PCC. As primeiras imagens mostram três cabeças no pátio e presos ameaçando outros. Em relatos que o MOSSORÓ HOJE teve acesso, já seriam mais de 30 presos mortos, no entanto até o momento foram reconhecidas cerca de 10. Outra informação que a população precisa saber é que a polícia conseguiu cercar todo o presídio. Não tem registro de fuga. A Secretaria de Segurança e Defesa Social, assim como a Secretaria de Justiça e Cidadania, informaram à imprensa no início da noite que só vão entrar no presídio para contornar os ataques entre as facções com o clarear do dia deste domingo. Os policiais continuam no local de prontidão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário