quarta-feira, 6 de julho de 2016

OPERAÇÃO CAÇA-FANTASMAS 32ª fase da Operação Lava Jato tem como principal alvo parente de delegado da Polícia Federal

A Polícia Federal cumpre mandados da 32ª fase da Operação Lava Jato em São Paulo, Santos e São Bernardo do Campo na manhã desta quinta-feira (07). A operação foi denominada Caça-Fantasmas. As equipes cumprem 17 ordens judiciais, sendo sete conduções coercitivas e 10 mandados de busca e apreensão. Sessenta policiais federais cumprem as ações.
De acordo com a Polícia Federal, a Operação caça-Fantasmas identificou a presença de uma instituição financeira panamenha no Brasil, que estaria atuando sem autorização do Banco Central.
A instituição tem como objetivo a abertura e movimentação de contas em território nacional e assim viabilizar o fluxo de de valores de origem duvidosa para o exterior.
Além disso, a Polícia Federal afirma que há indícios de que o banco também possuía como produto a comercialização de empresas offshore registradas pela Mossack Fonseca. A empresa foi alvo da 22ª fase da Operação Lava Jato, a Operação "Triplo X".
Em nota, a Polícia Federal afirmou que "os serviços disponibilizados pela instituição financeira investigada e pelo escritório Mossack Fonseca foram utilizados, dentre diversos outros clientes do mercado financeiro de dinheiro 'sujo', por pessoas e empresas ligadas a investigados na Operação Lava Jato, sendo possível concluir que recursos retirados ilicitamente da Petrobras possam ter transitado pela instituição financeira investigada".
Nesta 32ª fase estão sendo apuradas, portanto, as práticas de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional, lavagem de ativos e organização criminosa transnacional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário