quinta-feira, 28 de abril de 2016

Janaína Paschoal diz que Senado pode incluir Lava Jato no processo de impeachment

Uma das autoras do pedido de impeachment, a advogada Janaína Paschoal afirmou nesta quinta-feira (28) que o Senado pode ampliar os fatos investigados pelo processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff e não estaria limitado pelo despacho do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Ao abrir o processo na Câmara, Cunha limitou o processo apenas a fatos ocorridos no mandato atual da presidente, iniciado em 2015, e excluiu as acusações de omissão da presidente nos casos de corrupção investigados pela Operação Lava Jato. Janaína defendeu, em reunião da comissão especial do impeachment no Senado, que os senadores podem incluir novos elementos no processo se assim desejarem. “Vossas excelências têm toda liberdade para se debruçarem sobre as 65 páginas da denúncia”, disse a advogada. Segundo Janaína afirmou, 15 das 65 páginas são voltadas a denúncias sobre a suposta ligação do governo Dilma com o esquema de corrupção investigado pela Lava Jato. O pedido de impeachment, disse a advogada, possui mais dois “pilares” além das denúncias de corrupção: as pedaladas fiscais e os decretos de abertura de crédito orçamentário.
UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário